quarta-feira, 29 de junho de 2011

Análise de solo vai beneficiar mais agricultores familiares a partir da Safra 2011/2012


A partir da próxima safra, os agricultores familiares que contratarem financiamentos do Pronaf acima de R$ 8 mil podem aderir ao Seguro da Agricultura Familiar, o SEAF, mediante apresentação de análise de solo. O objetivo é reduzir riscos, melhorar o planejamento da lavoura e aumentar a renda dos agricultores familiares. Até agora o procedimento era necessário para as operações acima de R$ 12 mil.
 
Para o coordenador do SEAF, José Carlos Zukowski, a análise do solo orienta o agricultor no planejamento de sua lavoura, no tipo de insumo que poderá ser colocado no solo, melhorando a eficiência e reduzindo riscos.
 
José Carlos Zukowski: “O agricultor precisa buscar orientação técnica, verificar com um engenheiro agrônomo ou técnico agrícola. Tendo essa orientação, ele vai coletar amostra, observando procedimentos específicos para que ela represente bem a realidade da área que ele vai plantar. Às vezes uma parte da área que vai plantar é mais pedregosa ou menos pedregosa, uma parte está em declive ou numa baixada, então, se tiver áreas diferentes, tem que separar em glebas, para que em cada gleba homogênea ele colete uma amostra”.
Poderão ser aceitas análises químicas de solo de até dois anos e análises granulométrica, que é a textura do solo, com até dez anos. A análise química é importante para verificar a necessidade de adubação e calagem, o que pode reduzir o desperdício e os gastos desnecessários com insumos. Já a análise granulométrica permite orientar sobre o tipo de insumo a ser usado, a forma de aplicação e a capacidade de retenção de água. As análises são apresentadas ao banco financiador no momento da contratação do seguro.
 
A exigência da análise de solo foi aprovada pelo Conselho Monetário Nacional em julho de 2007. O SEAF Custeio executado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, por meio da Secretaria de Agricultura Familiar, cobre até 100% do valor financiado no custeio agrícola do Pronaf e até 65% da Receita Líquida Esperada do Empreendimento, limitada a R$3.500.
 
Já o SEAF Investimento é facultativo. Este seguro pode amparar o valor correspondente a diferença entre 95% da Receita Bruta Esperada do Empreendimento e o valor já segurado no custeio, até o máximo de R$5.000 em cada operação.
  Acesse o áudio: http://www.mda.gov.br/portal/radio/sounds-view?sound_id=8058841
Assessoria de Comunicação Social MDA/Incra
Jornalista responsável: Carlos Bortolás (7326 - DRT/RS)
FONTE: Recebido por e-mail da Assessoria de Comunicação do MDA/INCRA

FAO alerta que a erradicação da peste bovina não significa que o mundo esteja livre da doença Renata Giraldi


Repórter da Agência Brasil
Brasília – A erradicação da peste bovina é apenas mais uma etapa do desafio de combate à doença, segundo o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), Jacques Diouf. Segundo ele, o trabalho de prevenção das autoridades sanitárias deve ser mantido para evitar o retorno da doença, pois ainda há exemplares do vírus em alguns laboratórios do mundo.
Diouf lembrou que, desde 1994, a FAO coordena o Programa de Erradicação Global de Peste Bovina (Grep) com vários parceiros das Nações Unidas, governos e organizações regionais. “O sucesso do programa demonstra a importância do apoio político e financeiro para os serviços de veterinária, sensibilização da comunidade, cooperação regional e investigação”, disse.

O diretor-geral disse que o vírus da peste bovina “não circula entre os animais vivos”, mas ainda é mantido ativo em  laboratórios. "Devemos concentrar nossa atenção nas medidas que devem ser tomadas para garantir que este resultado seja sustentável com benefícios a gerações futuras”, acrescentou.

A peste bovina é uma doença viral contagiosa que afeta várias espécies de animais selvagens e domésticos, principalmente bois e búfalos. Mas, de acordo com especialistas, espécies de ovelhas e cabras podem apresentar sinais leves da contaminação, como dificuldades respiratórias. Em 1920, na Bélgica, um surto da doença que desencadeou uma ação internacional de combate à peste bovina.
Paralelamente, a FAO faz campanha para erradicação de outras doenças que atingem os animais, como a febre aftosa, a brucelose e a raiva. A febre aftosa é uma doença viral contagiosa que se caracteriza pela febre alta, surgimento de bolhas ao redor da boca, na língua e nas patas. A infecção pode ser fatal nos animais jovens.

A brucelose é uma doença bacteriana infecciosa que causa infertilidade e provoca aborto. Nas fêmeas, leva à redução da produção de leite. Também afeta as pessoas.

Já a raiva é uma doença viral de mamíferos domésticos e silvestres e pode afetar a produção agrícola. Em seres humanos, a infecção é transmitida, principalmente, pela mordida de cães contaminados.
Edição: Vinicius Doria
FONTE: site Agência Brasil.

terça-feira, 28 de junho de 2011

FAO reconheceu papel de Graziano e do Brasil contra fome, diz Dilma


Em nota oficial sobre eleição de José Graziano da Silva para comandar a FAO, presidenta Dilma Rousseff afirma que vitória foi um reconhecimento da contribuição dele nas ações do governo de combate à fome e do esforço brasileiro para inserir o tema na agenda internacional.

BRASÍLIA – A presidenta Dilma Rousseff disse neste domingo (26/06), em nota oficial, que a vitória de José Graziano da Silva na eleição para dirigir a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) significa o reconhecimento da contribuição dele nas ações do governo brasileiro de combate à fome. Para ela, o resultado reconhece, ao mesmo tempo, o esforço do próprio país para colocar o tema na agenda internacional nos últimos anos.

Veja abaixo a íntegra da nota, divulgada pela Secretaria de Imprensa da Presidência:

Com enorme satisfação recebo a decisão dos países membros da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) de escolher o candidato brasileiro, José Graziano da Silva, para o posto de Diretor-Geral da entidade, nas eleições que tiveram lugar em Roma no dia de hoje.

Sua reconhecida contribuição na formulação da bem-sucedida estratégia governamental de assegurar o direito dos povos à alimentação, aliada às sólidas credenciais acadêmicas e o profundo conhecimento da FAO, acumulado à frente do escritório regional da entidade em Santiago, conferem a José Graziano qualificações essenciais para o cargo que ocupará nos próximos quatro anos.

A vitória do candidato brasileiro reflete, igualmente, o reconhecimento pela comunidade internacional das transformações socioeconômicas em curso em nosso País - que contribuem de forma decisiva para a democratização de oportunidades para milhões de brasileiras e brasileiros -, bem como o compromisso do Brasil de inserir o combate à fome e à pobreza no centro da agenda internacional. Um objetivo possível de ser alcançado com o fortalecimento do multilateralismo e com o aprofundamento da solidariedade e da cooperação entre as nações e os povos.

Ao cumprimentar meu amigo José Graziano pela eleição, desejo-lhe muito êxito em sua nova missão, para a qual poderá contar com o apoio firme do Governo brasileiro.
FONTE: Site Carta maior

Observatório irá diagnosticar a situação rural no Pará



Um Observatório Estadual de Monitoramento e Avaliação da Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) será implantado no Estado do Pará. O Governo Federal, através do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) pretende instalar o mecanismo de diagnostico até o final do ano. Para isso, instituições que executam serviços rurais no país, foram convidadas a participar de uma reunião técnica, a ser realizada nos hoje e amanhã, na Unidade Demonstrativa de Bragança (UDB). Nesta segunda-feira, 27, aconteceu no Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, uma reunião preliminar entre a Emater, MDA e Unicamp, para discutir o assunto.

O sistema fará a avaliação continuada de impactos possíveis, entraves institucionais e aperfeiçoará as atividades voltadas para o campo. A proposta para tal é que os próprios beneficiários da política de Ater atestem o serviço que está sendo oferecido. Para isso os agricultores serão treinados para aplicar questionários. O Doutor em Desenvolvimento Rural Sustentável, Kleber Pettan, da equipe de pesquisa da Unicamp contratada para consolidar os dados -, ressalta que o objetivo do observatório a ser criado não é avaliar as instituições, mas sim conferir se a Política Nacional de ATER, do MDA, está chegando aos beneficiários da forma com que foi concebida.

Segundo o coordenador geral de formação de agentes de Ater, do MDA, Reginaldo Silveira de Lima, o primeiro observatório de avaliação da região Norte será no Estado do Pará e será coordenado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater). Escolhemos o Pará por ser o estado que melhor representa a diversidade amazônica. São ribeirinhos, quilombolas, indígenas, pescadores artesanais, entre outros grupos que praticam a agricultura familiar, afirmou. 

Outras quatro regiões do território brasileiro também serão contempladas pelo MDA neste projeto que tem como meta atingir 100%dos estados brasileiros, mais o Distrito Federal.

Para Allan Razera, engenheiro agrônomo do Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural (Dater), do MDA, nesses dois dias serão expostas para os parceiros a forma de avaliação e metodologia. Vale ressaltar também que os serviços de Ater precisam atender a política nacional principalmente no que se refere à segurança alimentar e a renda das famílias do campo. 

Razera afirma que o conteúdo metodológico será de responsabilidade de profissionais de educação da Unicamp, que estarão presentes nas reuniões para as devidas explanações. Fizemos o convite para a participação de cerca de 50 instituições parceiras. Estamos confiantes nesse projeto que vai garantir a qualidade da política de Ater no Norte do país, afirmou.

Atividades

Hoje(28) e amanhã (29), na UDB, propriedade da Emater, acontece uma reunião com os técnicos da empresa e com integrantes de Organizações Não Governamentais que realizam trabalhos junto às comunidades rurais do estado. Para coordenador técnico da Emater, Paulo Lobato, a experiência deste observatório vai proporcionar que a Empresa avalie o trabalho que vem desenvolvendo e possibilitará que um aprimoramento aconteça. Só quem tem a ganhar são os agricultores familiares do nosso Pará, finalizou.
Jornalista Kenny Teixeira
FONTE: Site da EMATER-PARÁ

III Congresso Nacional dos Técnicos Agrícolas

O III Congresso Nacional será realizado nos dias 27 de julho a 1 de agosto de 2011, no Estado do Rio Grande do Sul, quando na oportunidade serão comemorados os 70 anos e fundação da primeira Entidade dos Técnicos Agrícolas no Brasil, a ATARGS - Associação dos Técnicos Agrícolas do RS, e o Centenário da Profissão do Técnico Agrícola.
www.fenata.com.br
FONTE: rede sociais 

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Emater-Pará e Secretaria Municipal de Agricultura promovem 2º Festival da Goiaba em Dom Eliseu

Maior produtor de goiaba da Amazônia, o município de Dom Eliseu, sudeste do Pará, realiza o II Festival da Goiaba, nos dias 24, 25 e 26 de junho. O evento é coordenado pela prefeitura local em parceria com o escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-Pará).

Na primeira edição do evento, cerca de 10 mil visitaram o espaço do evento. Este ano, além de shows noturnos, o Festival terá barracas de produtos de agricultura familiar, onde associações e cooperativas exporão e venderão, a preços módicos, subprodutos da goiaba, como compota, geléia e suco. Os órgãos públicos do setor agrícola e fundiário e empresas privadas do ramo também terão seus estandes: Emater e Secretaria Municipal de Agricultura (Semagri), por exemplo, apresentarão juntas seus trabalhos, dividindo o mesmo espaço.

O município tem mais de 50 agricultores familiares de goiaba, com produção em escala comercial, "de transição agroecológica" (cultivadas sob menos defensivos e adubos químicos, em comparação às quantidades utilizadas no sistema convencional), com 130 hectares plantados. Todos os plantadores são financiados pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), com o intermédio da Emater.

Outra promoção do Festival, também, será o Seminário sobre a Agricultura Familiar, Produção e renda no campo, que acontece durante o dia 24. Na programação estão palestras sobre a comercialização e marketing da cultura da goiaba e sobre as ações e programas para o fortalecimento da fruticultura no estado do Pará.
 (Ascom Emater)
Fonte: Diário do Pará

Operação Parakanã embarga 3,2 mil hectares no Pará


O Ibama aplicou R$ 17,1 milhões em multas e embargou 3,2 mil hectares de áreas ilegalmente desmatadas em Anapu, Pacajá, Novo Repartimento, Altamira e Portel, no sudoeste e centro-oeste do Pará. As ações ocorreram durante a operação Parakanã, que percorreu os municípios entre 28 de abril e 14 de junho, com o objetivo de combater o desmatamento na região. Além das multas e embargos, foram apreendidos 158 m3 de madeira em tora, 130 m3 do produto serrado, 11 maquinários de duas serrarias clandestinas (serras-fitas, serras-circulares, etc), três tratores, duas motosserras e duas armas.

Os alvos dos agentes eram as áreas desmatadas indicadas pelo sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), programa do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), desenvolvido com apoio do Ibama e Ministério do Meio Ambiente, que monitora o bioma por meio de análise de imagens de satélite.

No total, os agentes confirmaram em campo 58 áreas desflorestadas, a maioria delas em Pacajá, no sudoeste paraense. Com 840 hectares de florestas destruídas na primeira quinzena de junho, segundo estimativa do Deter, o município lidera no momento os índices de desmatamento no estado. Nos próximos dias, o Ibama retorna à região para a operação Parakanã II.


FONTE: Ascom Ibama/PA
FOTO: IBAMA